quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

\o/ Dias mágicos: comunicação, negócios e negociações na eloquente QUARTA-FEIRA \o/

Dentro da nossa tabela de correspondências, quarta-feira tem um significado bem especial, a começar pela singularidade de significações que os idiomas trazem. Em espanhol, Miércoles significa dia de Mercúrio, deus Romano da comunicação, dos ladrões e das negociatas, bem como em galego Mércores.

Mercredi (francês) também prestigia o deus romano. E no italiano (Mercoledi) idem. Fica bem interessante quando transpomos as águas gélidas, pois em inglês, Wednesday significa dia de Woden, deus rei da Guerra e da Morte no panteão anglo-saxão, representado por um imponente guerreiro de um olho só.
Hermes
Fonte da imagem:http://1.bp.blogspot.com
Na Holanda, Woden também é reverenciado, pois quarta-feira em holandês é Woensdag, dia de Woden. Em dinarmaquês e sueco, Odin é a deidade homenageada na referência a Onsdag. Como se percebe, a influência pagã é nítida nos troncos indo-europeus, o que mostra seu relevo diante do transcurso do tempo. 

Comecemos com a influência mais conhecida: Mercúrio, deus romano da comunicação, da troca, barganha, negociação e negociata, elementos definidores da egrégora desse deus, tido como rei dos falsários e ladrões. 

A figura grega (Hermes), contudo, traz um elemento bem significativamente peculiar, que é o acesso ao conhecimento, ao oculto, aos mistérios (ele traz um cajado, associado ao instinto e ao hermético não visível a olho nu) e aos estudos.

Também se associa à energia de Mercúrio a eloquência, ao comércio, ao intelecto e à astúcia, sendo um momento auspicioso para desenvolvimento de aspectos relacionados a questões financeiras e negociais. 

Esse é um aspecto. Vejamos, agora, outras singelezas. Transpondo para os panteões setentrionais, temos Odin e Woden, figuras interessantes e complexas. 

Odin é o guardião das runas sagradas, que advieram a partir de seu sacrifício em ficar de cabeça para baixo, atrelado à árvore, recebendo, depois, as runas sagradas e as revelando aos mortais. 

Guardião oracular, marcando um dia muito interessante para leitura de runas. Gosto muito de tirar as quartas-feiras para isso, pois as confluências energéticas estão todas favoráveis para a comunicação entre os mundos. 

No panteão celta, dia consagrado a Oghma, deus-poeta criador do alfabeto ogham, mestre da vidência, eloquência e erudição. Também se reverencia Taliesin (o Merlin, em seu aspecto mágico-druídico), bem como Druantia, deusa da fertilidade e paixão.
Fonte da imagem: www.mitografias.com.br
Alfabeto ogham

Como não poderia deixar se ser, a correspondência - no aspecto de comunicação - é do ar, elemento da fluidez, movimento, comunicação, como também da expansibilidade, volatilidade, impenetrabilidade e incompressibilidade. 

Gosto de manter cautela com o ar, porque seus atributos marcam a inconstância - tal qual o vento que vem e vai, vira e, de súbito, sopra em outra direção. 

Bom, acho que, para início, nossa incursão está de bom tamanho. 

Não é preciso decorar nada disso, mas acessar as correspondências ancestrais que estão aí, bem explícitas. 

Não se trata de invenção alguma, mas de práticas antigas, que remontam aos tempos em que o politeísmo direcionava as reverências aos deuses e às deusas de acordo com uma liturgia específica dentro dos dias da semana. Basta apenas observar os sinais que estão aí, para todos e todas nós podermos sentir.

Fáilte!

Nenhum comentário:

Postar um comentário