terça-feira, 21 de abril de 2015

A casa da bruxa: jardim de ervas, jardim de delícias!

Minha mãe é a "senhora das ervas", pois, desde quando me lembro ser gente, ela tinha solução para tudo com as poderosas dicas de ervas e plantas. Sejam curativas ou, ainda, palatáveis ou aromatizantes, sempre estava a indicar suas fabulosas receitas mágicas, sobretudo na loja Empório Verde (produtos naturais), para as clientes e amigas. Dias depois as freguesas apareciam, falando nos providenciais "milagres" que a Lígia fazia por elas. 

Longe vão os tempos de Empório Verde, mas dele - bem como das hortas que minha mãe amorosamente cultivava - extraí um hábito bem saudável: ter meu próprio jardim de ervas a reunir algumas plantas importantes para a alimentação e a saúde.

Desenvolvi melhor o projeto aqui depois da mudança, pois, na outra casa, já cultivava mamão, amora, maracujá e um jardim com ervas medicinais. Trouxe para cá uma muda de hortelã que estava meio xoxa, mas não seria o bastante para um "cantinho das ervas".

Ah, sim, também trouxe uma babosa em uma jardineira, mas os labradores reduziram cinco mudas a uma. Desenganada por todos e todas, ao final, sobreviveu.

Da direita para a esquerda, fui atrás de sálvia, muito usada para pasta de dente. Se perceberem bem o gosto, poderão sentir o gostinho de dentifrício ao final dela.

Esfregue a folha no dente e verá, a longo prazo, o efeito clareador que as espículas da sálvia - bem como sua essência - promovem aos dentes.

Muito usada em rituais de prosperidade, a sálvia também traz sorte e proteção. Nos mercados alternativos vende-se bastante o bastão de sálvia branca seca (geralmente bem caro, pois se trata de artefato importado), mas é possível fazê-lo em casa, ainda que o bastão não fique tão grande.

Basta recolher (preferencialmente na Lua Cheia, para fins de proteção. Mas, no caso de trabalhos mágicos de banimento, sugiro a Lua Negra (pela potencialidade reflexiva e onírica ligada à sombra) as folhas (sem os caules) da planta, lavá-las com água corrente (mas se estiverem sob a chuva, nem precisa) e deixá-las desidratando ao sol.

Depois disso, sugiro enrolá-las, mas sempre com o cuidado de não deixá-las muito ao sol para que as folhas não fiquem muito ressecadas ao ponto de quebrar. O ideal é a desidratação em 80% porque, daí, o restante será feito com o bastão pronto.

Ao lado do pé de sálvia plantei a arruda e ambos estão se dando muito bem, obrigada. Nem é preciso dizer que a arruda, além de excelente para limpeza astral, também bane energias não amistosas. Não aconselho uso culinário dela, porquanto tem muito sabor canforado, o que é bastante venenoso.

No segundo vaso, plantei manjericão e, logo à frente, manjericão roxo, que tem um sabor um pouco mais adocicado (mas não se animem, são apenas notas). O manjericão é uma espécie de "coringa", tanto da cozinha mágica, como dos rituais, pois podemos usá-lo para amor e proteção, além de figurar como componente principal de um bom molho de macarronada, ou, ainda, em uma módica salada de tomate cereja e muzarela de búfala.

Ao lado, na jardineira comida pelos dogs, o tomilho e o orégano, temperos que lembram sempre para amor e cura (tomilho), bem como para sonhos, clarividência e sorte (orégano).

Próximo item da lista: babosa. Ela é ótima para hidratar pele e cabelo, além de ser um excelente cicatrizante. Quando os dogs têm dermatite por stress passo na ferida e, no dia seguinte, já tem a casca. Ela tem espículas, o que sempre me lembra de sua finalidade mágica de proteção (a Natureza faz as formas de acordo com a função). 

A dobradinha salsinha/cebolinha são tudo de mais básico em uma cozinha que se preste, sendo imprescindíveis na casa da bruxa, sendo coringas para tudo. Não sou muito fã de coentro, acho o gosto nulificador dos demais temperos e preferi não plantar por agora. Mas confesso que irei lidar com esse preconceito e, de repente, plantá-lo um dia. 

Plantei dois pés de hortelã e um já está saindo do vaso, tamanha a vastidão da touceira. O que poderia dizer sobre ela? Boa para colocar na água gelada, servir com chá mate em um dia frio. Além disso, uso para cura, depressão e limpeza.

O que dizer do alecrim? Outro coringa das ervas, pois sua utilização vai desde limpeza, proteção, cura, até, no caso da gastronomia, para tempero de carnes fortes. Apenas não sugiro misturar  alecrim com outros temperos (aliás, sugiro o mesmo para a sálvia), pois o sabor proeminente pode ficar comprometido com uma mistureba. 

Trouxe, ainda, da outra casa, um galho tímido de boldo, mas não é que deu certo e as folhas já estão despontando? Excelente para fígado, cura, limpeza e cicatrização.

Por fim e, não menos importante, lavanda, minha sempre querida lavanda. Amo lavanda! Adoro sabonete, colônia, perfume, tudo de lavanda! também boa para colocar - como essência - em bolos úmidos, além de ser excelente para trabalhos com depressão, amor, auto-estima, sensualidade e beleza.

Ainda quero expandir os horizontes do jardim de delícias e já estou estudando aqui onde plantarei as sementes de abóbora e mamão. A horta completa - com alface, agrião, cenoura etc. - virá com o tempo. Tudo tem seu tempo, afinal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário