quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Rupturas e transformações em um maravilhoso mundo novo!

Não me recordo quando exatamente em agosto parei de escrever aqui, hibernando em uma deliciosa caverna de expansão consciencial para me prostrar em uma idílica viagem sem volta para uma ruptura incomum que minha alma tem experienciado todos os dias!

Tal lembrança, contudo, não importa, pois, ao final, o que realmente vale a pena é o caminho que nos leva para o mais completo desconhecido, um destino que carrega em si mesmo a pluralidade de destinos, reelaborando-se a cada passo da trajetória! 

Quando nos damos conta já estamos de malas feitas, nem que seja uma simples e confortável mochila multiuso: leve, despretensiosa e, ao mesmo tempo, completa em si mesma!!! O menos é mais e, com isso, para essa vida, o melhor que podemos fazer é calçar uma sandália confortável, pegar nossa garrafinha de água, uma banana e colocar tudo nessa mochila mágica rumo ao infinito.

Não me encaixo em nada e, ao mesmo tempo, agrego-me a tudo, sorvendo o máximo do que a vida pode doar amorosamente a quem se coloca na devoção do simples cumprir a doce sina de viver. Sala de aula, doutorado, amizades, relacionamentos, família: tudo emprestado e com dia certo de devolução benfazeja, ainda que não saibamos exatamente qual será o derradeiro fim. 

Olho o ir e vir de galáxias que se avizinham e de meteoros que tiram finos da Terra, lembrando-nos da efemeridade de nosso conhecimento científico que pode não valer muito quando a Terra passa a ser uma bola de bilhar no vasto campo de uma sinuca galáctica. 

Percebo a movimentação em torno dos novos credos que pululam semanalmente nos covens e nas tradições que pretendem se firmar no caminho da Arte. Entro e saio sem aderir a projetos, pois sou em mim mesma meu maior projeto existencial, sem pretensões de me fazer ególatra: nada pessoal, é apenas a constatação empírica de que o caminho é solitário, por mais que estejamos em um clã, coven ou grove...

Receitas de feitiços? Bençãos para o dia? Instrumentos mágicos? Uma infinidade de situações que transformaram a Nova Era em um espaço para a contemplação do ecletismo. Tudo é bem-vindo na gôndola do viver!

Como é possível estar feliz em meio a tanto rompimento? Sendo plena em si mesma e aproveitando o que se avizinha com gratidão, pois ela nos preenche tanto que todo o resto passa a ser simplesmente um complemento.

A paz reina no espírito, que paz, que realização! \o/\o/\o/

Um comentário:

  1. Como SEMPRE, Lad, Você é a PRÓPRIA demonstração do que é e do viver uma das mais espetaculares experiências: LIBERDADE....

    ResponderExcluir