sábado, 1 de maio de 2010

O sagrado da Terra nos Florais de Bach

Hoje tive um módulo do curso de Terapia Floral. O facilitador contou a história de como Bach acessou as essências, o que me despertou para a sensibilidade daquele médico, porque reza a lenda que ele foi tocando e experimentando gotículas de orvalho que se depositavam em plantas específicas, recebendo respostas e sensações próprias a respeito de cada planta!

Depois fiquei com meus botões pensando no quanto é cômodo comprar um vidrinho de Floral na famácia de manipulação e não prestar atenção na singeleza do que significa esse ato, que mostra imensa conexão ao Todo, à Natureza.

Fiquei, então, mais curiosa em estudar os florais, porque minha experiência com eles tem sido maravilhosa, uma descoberta atrás da outra em termos de reconexão com minha essência superior, muitas vezes sucateada pela racionalidade, que insiste em formatar tudo em uma forma de gelo...

Hoje minha homenagem vai para Agrimony, essa florzinha simpática aí em cima, que desvenda máscaras. Sabe aquela pessoa que sempre está rindo, quase de que maneira frenética, ansiosa, atribulada e agitadamente? Que traz um semblante sempre feliz e complacente que, ao fundo, a marca do que procura esconder? Sim, para esse pessoal que se destina a essência Agrimony, que desnuda a máscara, revelando quem é a pessoa. Penso ser uma essência muito importante para se buscar o compromisso com o EU, tantas vezes colocado em uma névoa diante do nosso mascaramento.

4 comentários:

  1. Ainda prefiro os Florais de Bach...lembro a primeira vez que usei, e foi algo que me tocou, acalmou a alma. =)

    ResponderExcluir
  2. Engraçado, Rachel, tenho essa mesma sensação. Mesmo com tanta fartura - florais do cerrado, Joel Aleixo, argentinos - a simplicidade dos florais de Bach sempre resolveram...
    Grata pelo comentário!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Helene! Os florais agem em cima do campo energético vibracional, algo muito sutil (o pessoal da quântica gosta muito disso), porque não deixa de ser um nível ainda não perceptível a olho nu, tal qual os orbitais e subníveis energéticos (aliás, lembra das aulas de Química? É bem isso aí mesmo! É como se à nossa volta tivéssemos "nuvens de poeira" vibrando. Quando existe algo que está destoando, a maneira como vibra desasmoniza em relação ao restante de nós (imagine que somos, seres huamnos, entidades que estão oscilando em uma frequência de onda). Daí a desarmonia causa a vibranção destoante, em virtude do que faz o estado mental (para evidenciar que a mente e a emoção plasmam a matéria). O floral atua no sentido de agir na recomposição da frequência de onda, "calibrando" nossa frequência destoante e nos trazendo para o tom certinho...
    Que bom saber que toma floral!
    Adoro mexer com florais e daqui a pouco terei minha certificação e poderei trabalhar com isso, pois já estudo há tempos (dentro da Física).

    ResponderExcluir