quarta-feira, 12 de agosto de 2009

O ciclo vida-morte-vida na espiral celta do renascimento

"Em YULE a Criança-Rei nasce, com a promessa da esperança que no ventre a Deusa carrega. Hibernamos, refletimos, paramos

Para em IMBOLC manter.

Nesta data o leite é farto,

a Deusa amamenta o Rei.

Em OSTARA tudo é equilíbrio

Dia e noite, Deusa e Deus

Sol e Lua para florescer

Em BELTANE, Deusa e Deus deitam-se no solo.

Fecunda Gaia, sexo à flor da pele.

Sagrados bebês e tochas flamejantes

Para em LITHA o Deus ser pleno.

Dia mais longo, finda a vida.

O Deus está caminhando para o Outro Mundo.

Em LUGHNASADH agradecemos

Queimamos o que não serve.

Em MABON, a seca, fecha o Deus o ciclo, para em SAIMHAIM, findar"

Um comentário: